PERSONAGENS DA HISTÓRIA: LAMPIÃO

0 0

LAMPIÃO – Virgolino Ferreira da Silva, conhecido popularmente pelo apelido de Lampião, foi o principal e mais conhecido cangaceiro brasileiro. Nasceu na cidade de Serra Talhada (PE) em 7 de julho de 1897 e faleceu em Poço Redondo (SE) em 28 de julho de 1938. Ficou conhecido como o “Rei do Cangaço”.

  • 7 de julho de 1897 nasce Virgolino Ferreira da Silva, em Vila Bella, atual Serra Talhada – PE. Filho de José Ferreira da Silva e Maria Sulena da Purificação, ou Maria Lopes.
  • Em 1905, faz a primeira Comunhão, na vila São Francisco.
  • Em 1909, já trabalhava na agricultura, vindo a ser almocreve, feirante, artesão e vaqueiro.
  • Em 1912, foi crismado, também na vila São Francisco.
  • Em 1916, começa a rixa com Zé Saturnino.
  • Primeiro confronto armado entre os Ferreira e Zé Saturnino com sua gente.
  • Em 1920, morre sua mãe, e seu pai foi assassinado pela volante de Zé Lucena.
  • Virgolino assume a condição de cangaceiro para vingar seu pai. Entra no bando de Sinhô Pereira e Luís Padre, onde se revela um líder nato.
  • Em 1921, Lampião e o bando cerca a casa de Zé Saturnino – seu primeiro inimigo – na fazenda Pedreira, quando a mãe do mesmo intercede em favor do filho, pedindo que o cangaceiro poupe sua vida.
  • Em1922 Lampião recebe de Sinhô Pereira a chefia do grupo. Nesse mesmo ano, os cangaceiros invadem São José do Belmonte e matam Gonzaga. Lampião ataca a baronesa de Água Branca, em Alagoas.
  • No dia 31 de julho de 1923, aconteceu o casamento de Maria Licor Ferreira de Lima com Enoque Menezes. É quando acontece a última entrada de Lampião em Nazaré.
  • Em 1924, Lampião mata o cangaceiro Nêgo Tibúrcio e seu grupo, em Santa Maria, atual Tupanací (Mirandiba). Fogo das Baixas, entre Lampião e os Nazarenos. Morre o cangaceiro Antonio Rosa. Lampião é baleado no pé, na Serra do Catolé, em Vila Bella. Em função do ferimento, entra em depressão e pensa em entregar-se à justiça. Antônio Ferreira ataca a cidade de Sousa, no sertão da Paraíba. Morre o cangaceiro Meia Noite. Em 1925, morre Livino Ferreira. Lampião e o bando visitam pacificamente a cidade de Custódia.
  • Em 1926 Lampião recebe do Padre Cícero a patente de Capitão do Exército Patriótico. E nesse mesmo ano houve o combate da Serra Grande, no Estado de Pernambuco. Fogo no Jacaré. Morre Antônio Ferreira.
  • Sabino e seu grupo atacam a cidade Triunfo. Assassinam José Nogueira. E em Vila Bella foi construída uma nova cadeia para prender Lampião.
  • Em 1927, o cangaceiro Jararaca à frente de um grupo, invade Carnaíba, em Pernambuco. Zabelê é preso em Vila Bella. Com vários outros grupos de cangaceiros, Lampião ataca a cidade potiguar Mossoró, no Rio Grande do Norte. O cangaceiro Colchete foi morto em plena avenida, e Jararaca foi baleado e capturado. Dias depois foi executado.
  • Em 1928, devido a violenta perseguição, Lampião atravessa o Rio São Francisco e o cangaço lampiônico é introduzido na Bahia e Sergipe. Morre Sabino das Abóboras.
  • 01 de março de 1929, Lampião entra pela primeira vez em Carira.
  • 25 de novembro de 1929, visita Capela.
  • No dia 22 de dezembro de 1929, Lampião e seu bando promovem uma chacina em Queimadas (Bahia) e fazem presepadas em outras cidades e fazendas arredores.
  • Em 1930, ano da Revolução. Tem-se certa trégua entre cangaceiros e volantes. Entra a primeira mulher no cangaço, Maria Bonita.
  • Em 1932, morre Ezequiel Ferreira, irmão do rei do cangaço, Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião.
  • Em 28 de julho de 1938, Lampião, Maria Bonita e mais nove companheiros foram massacrados na fazenda Angico, no sertão do Estado de Sergipe.
  • No dia 25 de maio de 1940, a volante de Zé Rufino assassina Corisco, na fazenda Cavaco, em Brotas de Macaúbas, Bahia.